Notícias

Dividendo Demográfico em África e Angola constitui tema actual

11 June 2017
Presidium: Yolanda Miguel (Vice-presidente do Conselho Nacional da Juventude), SE Dr. Albino da Conceição, Ministro da Juventude e Desportos, SE Dr. Pedro Fonseca (Secretário de Estado do Planeamento e Desenvolvimento Territorial), Dr. Pier Balladelli (Coordenador Residente da ONU ), Drª. Florbela Fernandes, Representante do UNFPA

Luanda - O Dividendo Demográfico em África e em Angola, em particular, constitui um tema actual estrategicamente importante, face os efeitos sobre as políticas que delas decorrem, que podem ressaltar em crescimento económico, desenvolvimento sustentável, e do bem-estar das populações, considerou, hoje, quinta-feira, em Luanda, o secretário de Estado do Planeamento, Pedro Luís.

O responsável fez este pronunciamento no acto do lançamento do Tema da União Africana (UA) para 2017, designado  "Aproveitamento do Dividendo Demográfico através de Investimentos na Juventude", realizado no memorial António Agostinho Neto.

O Dividendo Demográfico assenta no crescimento económico acelerado e não automático, o que requer investimentos estratégicos em saúde e bem-estar, educação e desenvolvimento de habilidades, emprego e empreendedorismo e governação.

O responsável sublinhou que a população é o centro do crescimento económico, enquanto sujeito desse processo.

Referiu que a primeira vertente é a população que fornece a força de trabalho, necessária para o funcionamento das economias, para a combinação com outros factores de produção, e a segunda, como finalidade última das transformações e ajustamento visando a melhoria das suas condições de vida.

Realçou que de acordo com as estatísticas do Instituto Nacional de Estatística (INE) existe um aumento anual de milhões de jovens, que ficam disponível para o trabalho, gerar mais-valia e contribuir para o crescimento da economia.

Esclareceu que em 2000 quando se ensaiou o processo de elaboração de estratégia 2000/2021, partiu-se do pressuposto da primeira asserção que a população é o sujeito do crescimento económico.

Acrescentou igualmente que com base nisso traçou-se três cenários para a previsão do crescimento desta população sendo um mau, outro óptimo e um outro mais ou menos maior, e cada um destes era sustentado e determinado pela taxa de crescimento da população, que, por sua vez, eram sustentadas por um conjunto de politicas públicas.

O coordenador regional para África Richmond Tiemoko explicou que os representantes dos continentes africanos acordaram que seria necessário enquadrar dentro do quadro do desenvolvimento, um Dividendo Demográfico através de investimentos para a juventude.

Acrescentou que a comissão da União Africana desenvolveu um roteiro para atingir este Dividendo Demográfico.

Definiu o Dividendo Demográfico em África como sendo um beneficio económico, que surge do momento significativo na razão entre a população económica activa, dos 15 a 64 anos, e as dependentes jovens e idosos.

O tema foi aprovado na cúpula da União Africana, em que os países africanos estão envolvidos em campanhas e divulgação do Dividendo Demográfico como um importante paradigma de desenvolvimento do continente.

Para Angola, este lançamento vai ser uma oportunidade para compartilhar o progresso e desafios que o país enfrenta para a realização do Dividendo Demográfico.

Fonte: Portal Angop