Notícias

UNFPA realça investimento para redução da gravidez precoce em Angola

31 Março 2016
Florbela Fernandes Representante do UNFPA em Angola, falando a Imprensa

Lubango - A representante do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP), em Angola, Florbela Fernandes, reafirmou nesta quinta-feira, no Lubango, província da Huíla, o compromisso de continuar a investir seriamente em matéria de advocacia para a redução da gravidez precoce no seio das adolescentes.

Segundo a representante do FNUAP, em Angola, que falava na abertura de uma palestra sobre a “gravidez precoce”, estas medidas vão contribuir para que as adolescentes vivam permanentemente a sua infância, livres das gravidezes e casamentos precoces e que a sua transição para a vida adulta seja cada vez mais saudável.

Segundo ela, a transição saudável da adolescência para a idade adulta resulta de opções acrescidas para o futuro, entre as quais, atingindo o seu pleno potencial com a formação académica e profissional.

“Estas acções são pré-requisitos que ajudarão para a realização da agenda do FNUAP até 2030 e do Plano Nacional de Desenvolvimento Sustentável na perspectiva de que os níveis de gravidezes precoces diminuam no país”, disse.

Sem avançar dados estatísticos sobre o assunto, sublinhou que tal fenómeno é frequente na sociedade angolana, dai que os pais e encarregados de educação devem continuar a desenvolver informações junto dos seus filhos sobre as consequências da gravidez precoce na adolescência, atendendo a falta de informação e de acompanhamento necessário.

Para o efeito, o FNUAP com apoio do governo angolano vai dentro de dias desenvolver a condução de um estudo do perfil da adolescente grávida, bem como a implementação do programa conjunto para a redução deste fenómeno, assim como promover a formação de técnicos em educação sexual para as escolas.

O evento realizado na escola 27 de Março presidido pela vice-governadora provincial da Huíla para o sector politico e social, Maria João Chipalavela, foi assistido pelos directores províncias da saúde, família e promoção da mulher, justiça, juventude e desportos e alunos.

Fonte: Angop