You are here

Workshop sobre "O papel do pai na prevenção da violência baseada no género” com o apoio do UNFPA

No passado dia 11 de Novembro de 2019, realizou-se em Luanda, o primeiro workshop sobre "O papel do pai na prevenção da violência baseada no género", promovido pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher (MASFAMU), com a abertura de uma exposição fotográfica de retratos de pais angolanos e pais suecos, ilustrando o seu engajamento no cuidado dos filhos.

Segundo a Ministra do MASFAMU, Dra. Faustina Inglês de Almeida Alves: “a violência baseada no género está presente em muitas famílias, nos locais de trabalho, nas escolas e na sociedade, de um modo geral, constituindo uma violação dos direitos humanos e um obstáculo para o desenvolvimento sustentável de qualquer nação.”

De acordo com a Representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), em Angola, Dra. Florbela Fernandes: “O Relatório do Estado dos Pais no Mundo de 2019, lançado em Junho deste ano, destaca que 85% dos pais a nível mundial estão dispostos a participar mais nos cuidados de suas crianças. Contudo algumas barreiras impedem que este desejo seja efectivado. Uma das barreiras prende-se com a falta de licença de paternidade adequada.”

Acrescentou ainda que: “As relações entre homens e mulheres são resultados de arranjos sociais e culturais passíveis de transformação. Nem a igualdade de género, nem o empoderamento das mulheres serão realizados, sem que os programas e as políticas sejam baseadas no contexto local e estejam assentes na participação activa, de todos os segmentos da sociedade. Os pais, os homens, os meninos, são fundamentais para que a erradicação da violência baseada no género seja alcançada.”

A Embaixadora da Suécia em Angola, Sra. Ewa Polano defendeu também que a Suécia é o 1º país do mundo a adoptar a lei da licença parental, possibilitando, desta forma, os pais a criarem vínculos mais próximos com os seus filhos e estarem em casa até 16 meses, a cuidarem deles.

Em todo o mundo estima-se que 1 em cada 3 mulheres sofre de abuso físico ou sexual em sua vida, normalmente em ambiente doméstico, familiar, ou de uma relação íntima de afecto.

As vítimas de violência sofrem inúmeras consequências, nomeadamente: agressões físicas e psicológicas, incluindo gravidez não planeada, assédio e abuso sexual, infecções sexualmente transmissíveis, incluindo a própria morte.

A iniciativa levada a cabo pelo MASFAMU, contou com parcerias da Fundação Sagrada Esperança, Rede Mulher Angola, o apoio da Embaixada da Suécia e do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), incluindo a presença de entidades governamentais e não governamentais e da sociedade civil.