Statement

Declaração do Director Executivo do UNFPA em alusão ao Dia Internacional das meninas, 11 de Outubro de 2016

11 October 2016
Dr. Babatunde Osotimehin, Sub- Secretário-geral das Nações Unidas e Director executivo do UNFPA, Fundo das Nações Unidas para a População

Levar as meninas em conta na era dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Dr. Babatunde Osotimehin, em alusão ao Dia Internacional das meninas, 11 de Outubro de 2016

"Tem alguém ai mesmo a pensar em melhorar nossas vidas?", Pergunta Susmita, uma adolescente de Odisha, Índia.

Susmita nunca foi à escola. Ela cuida dos poucos animais que a família possui e realiza  tarefas domésticas. Assim como mais de uma em cada três meninas em sua comunidade, ela talvez se case antes de completar 18 anos. Ela sonha em ir à escola – mesmo que seja por apenas um dia.

O tema desse ano do Dia Internacional das Meninas – ‘O progresso das meninas = o progresso dos objetivos: um movimento global de dados’ – reconhece que o que conta para as meninas deve ser contado. Dados que permitem visualizar e tornar acessíveis as vidas de cada menina, nos vários contextos, são essenciais para o progresso sustentado. Com acesso a este tipo de dados e informações, formuladores de políticas, comunidades, organizações da sociedade civil, grupos liderados por jovens, ativistas e as próprias meninas podem moldar as políticas e iniciativas que afetam positivamente as vidas de milhões de meninas em todo o mundo.

Investir em meninas adolescentes, como Susmita, permite que elas permaneçam na escola, ganhem habilidades, casem mais tarde, tenham menos crianças e crianças mais saudáveis, e ganhem uma renda maior para investir novamente em suas famílias e comunidades.

Estes investimentos devem ser orientados e informados por dados de alta qualidade para o máximo impacto e resultados, e para monitorar o progresso. Isto é particularmente importante para identificar e abordar as necessidades das meninas mais marginalizadas – aquelas sobre as quais, muitas vezes, sabemos o mínimo.
Menos de 50 países podem fornecer dados que são desagregados por sexo e idade. Existem lacunas enormes de dados em muitas áreas, incluindo pobreza, violência entre parceiros íntimos e mortes de adolescentes por complicações na gravidez e no parto, especialmente na faixa etária de 10 a 14 anos de idade.
Como resultado, os desafios que muitas meninas enfrentam permanecem sem solução, e este segmento importante da sociedade é repetidamente impossibilitado de realizar seu pleno potencial.

Investir em meninas adolescentes, como Susmita, permite que elas permaneçam na escola, ganhem habilidades, casem mais tarde, tenham menos crianças e crianças mais saudáveis, e ganhem uma renda maior para investir novamente em suas famílias e comunidades.

À medida em que trabalhamos juntos para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, devemos reconhecer que o nosso sucesso coletivo depende diretamente da forma como respondemos à pergunta de Susmita.

Cada menina tem o direito a uma transição segura e bem-sucedida para a idade adulta, e o direito de abraçar as oportunidades futuras reservadas a cada uma. Agora é hora de explorar plenamente o poder dos dados como uma das ferramentas mais importantes para o desenvolvimento e para a proteção e promoção dos direitos das adolescentes.
O novo Relatório sobre a Situação da População Mundial, a ser lançado pelo UNFPA, o Fundo de População das Nações Unidas, no final desse mês de outubro, avalia como o apoio que fornecemos para as adolescentes de hoje determinará o nosso bem-estar coletivo amanhã.
Nós, do UNFPA, estamos empenhados em apoiar as adolescentes para atingir seu pleno potencial e determinar seus próprios destinos. Cada menina conta.