Notícias

Membros parlamentares comprometidos com a resposta nacional para igualdade de género e eliminação do VIH/SIDA até 2030

30 Outubro 2018
Seminário organizado pelo Fórum Parlamentar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (FP-SADC) e o Grupo de Mulheres Parlamentares (GMP) em Angola, como o apoio das agências das Nações Unidas (UNFPA, ONUSIDA e PNUD) para a elaboração de um modelo de fiscalização sensível às especificidades do género. Foto: UNFPA/Denizia Pinto

Luanda, Angola- As mulheres líderes parlamentares desempenham um papel fundamental na abordagem efectiva dos desafios sociais que afligem a sociedade, especialmente na promoção da igualdade de género e prevenção do VIH / SIDA.

Visando acelerar as acções para o empoderamento da mulher e a eliminação do VIH/SIDA no país, o Fórum Parlamentar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (FP-SADC) e o Grupo de Mulheres Parlamentares (GMP) em Angola organizaram um seminário especificamente dirigido a 150 membros parlamentares masculinos com o intuito de criar um ambiente propício para a inclusão e a responsabilidade  entre os homens e mulheres para a melhoria da saúde e bem estar da população.

O seminário, de 3 dias, tem como objectivo a elaboração de um modelo de fiscalização sensível às especificidades do género e conta com apoio das Agências das Nações Unidas, nomeadamente o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre VIH/SIDA (ONUSIDA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

"O seminário  insere-se  no compromisso do País para a implementação da Resolução 60/2 (R60/2) da Comissão das Nações Unidas sobre o Estatuto das Mulheres. Considera particularmente o aumento das taxas de novas infecções ao VIH/SIDA que tem afectado desproporcionalmente jovens do sexo feminino, bem como as medidas para acabar com a epidemia até 2030"

De acordo com a presidente do Grupo de Mulheres Parlamentares, Drª Maria do Carmo do Nascimento “o seminário  insere-se  no compromisso do País para a implementação da Resolução 60/2 (R60/2) da Comissão das Nações Unidas sobre o Estatuto das Mulheres. Considera particularmente o aumento das taxas de novas infecções ao VIH/SIDA que tem afectado desproporcionalmente jovens do sexo feminino, bem como as medidas para acabar com a epidemia até 2030”. 

Neste contexto, o Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, o Dr. Paolo Baladelli reforçou que “este seminário vai permitir à Assembleia Nacional monitorar e supervisionar a implementação da R60/2 pelo executivo de modo a assegurar que os sectores designados abordem factores estruturais que expõem as meninas e jovens de 15 a 24 anos ao VIH/SIDA”.

"Este seminário vai permitir à Assembleia Nacional monitorar e supervisionar a implementação da R60/2 pelo executivo de modo a assegurar que os sectores designados abordem factores estruturais que expõem as meninas e jovens de 15 a 24 anos ao VIH/SIDA”.

Ao proferir as palavras de abertura do seminário, o Presidente da Assembleia Nacional, Dr. Fernando da Piedade Dias dos Santos, sublinhou que “a questão de género não é um problema apenas das mulheres, mas sim de todos nós. É transversal à nossa sociedade contemporânea, tão plena de desafios.”  O Presidente da Assembleia concluiu que “é necessário que os parlamentares sejam envolvidos e capacitados para poderem apoiar os esforços do GMP para a eliminação do VIH e o alcance dos resultados preconizados para a igualdade de género no país”.

“A questão de género não é um problema apenas das mulheres, mas sim de todos nós"