You are here

UNFPA entrega 50,000 kits de dignidade para combater crise humanitária no sul de Angola

UNFPA entrega kits de dignidade para combater crise humanitária no sul de Angola

 


@Gayo Village/Shutterstock

 

A crise humanitária provocada pela seca no sul de Angola não tem apenas o rosto da fome. Uma das crises silenciosas e igualmente graves afecta a saúde sexual e reprodutiva de milhões de meninas e mulheres da região. O UNFPA em conjunto com o Banco Mundial e o Ministério da Saúde angolano (MINSA) começou a distribuição de 50 mil kits de dignidade e saúde sexual na Huíla, Cunene, Namibe e Cuando-Cubango, as províncias mais afectadas.

A seca no Sul de Angola não dá sinais de clemência. A situação torna-se mais grave de dia para dia. Seis milhões de pessoas estão em risco alimentar, segundo o Programa Alimentar Mundial. O gado morre e há relatos de centenas de angolanos que cruzam a fronteira com a Namíbia em busca de melhores condições de vida. O efeito das alterações climáticas, aliados às dificuldades na gestão dos recursos por parte das populações, criou uma situação complexa que já dura alguns anos e continua a representar grandes desafios para os sectores sociais e económicos.

 

Embora grave, a fome é apenas uma das faces do problema. Esta crise afecta todos os aspectos da vida das pessoas, incluindo um que normalmente não é tido em conta — a saúde sexual e reprodutiva. Em crises, as mulheres, meninas e jovens adolescentes ficam mais vulneráveis. Há que cuidá-los, protegê-los e garantir o direito à saúde sexual e reprodutiva. Para tal, o UNFPA, o Banco Mundial e o MINSA, tomaram cartas no assunto.

 

Depois de alguns meses de preparação, o Projecto de Resposta à Saúde Sexual e Reprodutiva nas Áreas de Seca no Sul de Angola partiu para o terreno para distribuir um total de 50 mil Kits de Dignidade que contem 14 itens (3 cuecas femininas; 1 pacote com 10 absorventes higiénicos; 2 sabonetes; 2 saboneteiras; 2 pastas de dentes; 1 escova de dentes; 1 embalagem de sabão em pó; 1 lanterna; 1 pano Malongo de 1.5m; 1 par de chinelas; 1 balde; 1 bolsa azul; 1 apito e 1 pente) à população do sexo feminino de comunidades vulneráveis. No Cuando Cubango, 4 mil kits foram entregues no dia 12 de Julho, destinado aos Municípios de Cuangar, Rivungo, Mavinga, Dirico, Nancova, Calai e Cuchi.

O descarregamento foi feito nos Armazéns da Repartição Municipal da saúde de Menongue e contou com a presença da Dra. Odete Comboio na qualidade de Supervisora do Programa de Saúde Sexual e Reprodutiva.

 

Em 16 de Julho, foi a vez do Namibe receber 3 mil kits, numa cerimónia que contou com a presença da Directora Provincial da Saúde do Namibe, Josefa Rebeca Cangombe, e da directora do Gabinete provincial da Acção Social, Família e Igualdade do Género, Maria Natália Manuel de Carvalho.

 


Fernando André - Director do Hospital Municipal da Humpata,  Fátima Barros é a coordenadora provincial e o Nelson Gerente é assistente de campo
do UNFPA Angola.

 

No dia 26 de Julho, o governo do Cunene, representado pelo Vice-governador Provincial para o Sector Social Dr. Apolo Ndinoulenga, recebeu um total de 17.028 kits dignidade, entregues pela equipa composta por Mbulandy Wassuka, assistente de campo do UNFPA no Cunene, Benvinda Salomé do Gabinete Provincial de Saúde no Cunene, Rosa Gaudêncio Bernardo, representante do GASFIG- Gabinete da Acção social Família e Igualdade de Género e a Sra.Teresa, representante da Proteção Civil e Bombeiros. 

 

Na Huíla, a província que mais recebeu, a doação de 26 mil kits de dignidade aconteceu a 31 de Julho. Serão distribuídos nos municípios mais afectados pela seca – Gambos, Chibia, Cacula, Matala, Quipungo, Humpata e Quilengues. Durante a entrega dos kits, as autoridades locais, entre as quais a Vice-Governadora para o sector Político, Social e Económico, Dra. Maria João Chipalavela, a Directora do Gabinete Provincial da Saúde, Dra. Luciana Guimarães e administradores municipais, conheceram mais a fundo os programas do UNFPA em matéria de saúde sexual e reprodutiva e algumas das acções implementadas, com destaque para os kits de saúde reprodutiva e materiais de prevenção de Covid-19 às unidades sanitárias, dos municípios das áreas de abrangência do projecto.


Vice-governadora para o Sector Político e Social, Maria Chipalavela e um grupo de mulheres, durante a exposição do UNFPA em parceria com o projecto
CERF e LMMS, na província da Huíla.

As emergências e desastres naturais, como a seca no sul do país, apresentam desafios únicos para mulheres grávidas e o desenvolvimento dos fetos e das crianças. O Plano de Intervenção de Emergência do Sector da Saúde que o MINSA executa também nas quatro províncias afectadas pela seca, em parceria com o Banco Mundial e o UNFPA, quer apoiar activamente cerca de 350 mil mulheres dos 15 aos 49 anos que, estima-se, têm necessidade de serviços de saúde sexual e reprodutiva. Nesse contexto, são urgentes intervenções que reduzam a mortalidade materna e neonatal, que previnam a transmissão do VIH e de casos de violência baseada no género e que garantam a dignidade de higiene das meninas e mulheres durante a menstruação, como acontece com a entrega dos Kits Dignidade.